Campanha Vitallis Sanitas de Atualização da Mamografia

Profile

Uma vez a cada dois anos não é muito, para quem tem uma vida inteira.

Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres.
Olhe, palpe e sinta suas mamas no dia a dia para reconhecer suas variações naturais e identificar as alterações suspeitas. Em caso de alterações persistentes, procure o seu médico.

Você Sabia?
O câncer de mama é o segundo tipo mais comum no Brasil e também o que causa mais mortes por câncer em mulheres.
Os sinais e sintomas do câncer de mama são:
·         Caroço (nódulo mamário) fixo e geralmente indolor.
·         Alterações no bico do peito (mamilo).
·         Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja.
·         Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço.
·         Saída de líquido anormal das mamas.

Essas alterações precisam ser investigadas o quanto antes, mas podem não ser câncer de mama. Por isso é muito importante o autoexame das mamas e a mamografia.

Mamografia é uma radiografia das mamas, realizada por um equipamento de raios X chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas.

A mamografia de rastreamento é recomendada para todas as mulheres de 50 a 69 anos a cada dois anos.

Caso você se enquadre como alto risco para a doença, deve iniciar o controle aos 35 anos. São consideradas mulheres de alto risco para a doença aquelas com um ou mais parentes de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) com câncer de mama antes dos 50 anos, ou histórico familiar de câncer de mama masculino.

A mamografia e o exame clínico das mamas identificam alterações suspeitas, mas a confirmação de câncer de mama é feita em laboratório pelo exame histopatológico, que analisa uma pequena parte retirada da lesão (biópsia).