O que é asma?

 

É uma doença em que ocorre inflamação das vias aéreas, as quais conduzem o ar para os pulmões. Os sintomas mais frequentes são: tosse, dificuldade para respirar, “chiado” e sensação de aperto no peito. E os principais fatores que provocam ou agravam as crises, envolvem as mudanças bruscas de temperatura, frio, poeira doméstica, pêlos de animais domésticos, cigarro e poluição atmosférica.
Gripes e resfriados também podem desencadear as crises de asma!
Não existe cura definitiva, mas pode ser controlada e não interferir de maneira significativa na qualidade de vida. 

Sinais de alerta:


Os primeiros sinais de aviso são diferentes em cada criança e poderão não ser fáceis de distinguir. Eis os mais frequentes. Coisas que os pais poderão ver ou ouvir na criança:

·         Tosse que não desaparece
·         Tossir até vomitar
·         Tossir à noite
·         Pieira
·         Dificuldade respiratória
·         Cansaço logo após o início dos jogos ou do exercício
·         Respiração mais rápida do que o normal
·         Mau humor, rabugice, má disposição
·         Sinais de constipação
·         Espirros

Coisas que a criança poderá dizer:
·         “Estou cansado.”
·         “Dói-me o peito.”
·         “É difícil respirar.”
·         “Há um ruído engraçado (pieira) quando respiro.”

O que se deve fazer quando surgirem os primeiros sinais de aviso na criança? Se os pais detectarem os primeiros sinais de aviso, deverão seguir o plano de ação elaborado previamente pelo médico de referência ou busque pelo atendimento médico de urgência.

Buscando ajuda médica


É importante marcar uma consulta médica quando a criança começar com os sintomas da asma infantil, como dificuldade para respirar, chiado no peito, tosse constante e fadiga. Assim, é possível estabelecer um plano de ação e orientar a toda a família!
Caso a criança estiver em crise asmática, que envolve dificuldade extrema em respirar, pulsação rápida e sonolência, entre outros sinais, procure por um atendimento médico de emergência.

Tratamento de Asma infantil


Prevenção e controle são a chave para impedir que os ataques de asma infantil comecem. As medicações de uso contínuo servem para minimizar a sensibilidade e a inflamação as quais os brônquios da criança asmática estão sujeitos, fazendo com que os pulmões reajam com menos intensidade aos agentes irritantes, como poeira e ácaros. Diferente dos broncodilatadores, que apenas revertem o quadro de contração do brônquio, os medicamentos contínuos funcionam para evitar que essas reações aconteçam.
 

Convivendo com a asma


A asma infantil pode ser um desafio e estressante. Às vezes seu filho pode ficar frustrado, irritado ou deprimido porque precisa cortar suas atividades habituais para evitar os gatilhos. Ele também pode se sentir limitado ou constrangido com os sintomas da doença e por rotinas de gestão complicadas. Mas a asma infantil não tem de ser uma condição limitante. A melhor maneira de superar a ansiedade e uma sensação de impotência é entender sua condição e tomar o controle de seu tratamento.

Evite seus gatilhos | Prevenção


Tomar medidas para reduzir a sua exposição a coisas que provocam sintomas de asma é uma parte fundamental do controle da asma. Manter a casa sempre limpa, evitar o acúmulo de poeira e deixar algumas atividades de lado podem ajudar a prevenir uma crise.
A asma infantil em si não pode ser prevenida, uma vez que é decorrente de uma inflamação dos brônquios sem causa aparente. Entretanto, é possível controlar as crises e ter uma qualidade de vida melhor. Seguem algumas dicas:

·         É importante lavar as mãos ao entrar em casa e antes das refeições;
·         Sirva à sua criança uma alimentação equilibrada, que inclua verduras, legumes, sucos e frutas naturais;
·         Ofereça bastante líquido, de preferência água;
·         Mantenha a casa limpa e abra as janelas para arejar e permitir que a radiação solar aqueça o ambiente;
·         Evite cortinas e tapetes nos quartos para que não acumulem poeira;
·         Durante a noite, proteja sua criança do frio e da umidade excessivos;
·         Mantenha a vacinação de sua criança em dia;
·         Não use medicamentos sem a orientação do pediatra;
·         Ter um pediatra de referência.

SE APESAR DO TRATAMENTO EM CURSO, A CRIANÇA CONTINUAR APRESENTANDO FALTA DE AR, TOSSE OU AINDA, SE VOCÊ PERCEBER QUALQUER PIORA DA ASMA, PROCURE ATENDIMENTO MÉDICO IMEDIATAMENTE.