Vitallis na Mídia: Entrevista - Alexandre Malagon - "O Brasil sempre foi visto como um país de oportunidades"

Este artigo foi publicado em:

Entrevista - Alexandre Malagon - "O Brasil sempre foi visto como um país de oportunidades"
Perfil Alexandra Malagon - CEO Vitallis
 
Ser um bom profissional em uma área de atuação requer disciplina, paixão pelo que faz, estudo, sensibilidade para aproveitar oportunidades e ambição para crescer. Essas são características que acompanham a CEO das empresas da Organização Sanitas Internacional no Brasil, a contabilista com Mestrado em Finanças, Alexandra Malagon. Aos 18 anos ela, que começou como aprendiz na Organização, tem uma carreira de sucesso, neste que é um dos principais conglomerados de saúde da América Latina.
Natural de Bogotá, Alexandrae moraatualmente em Belo Horizonte e comanda a maior operadora de medicina de grupo do Estado, a Vitallis, uma empresa genuinamente mineira com 22 anos de mercado e com grande credibilidade junto aos clientes. A empresa foi totalmente incorporada à Organização Sanitas Internacional em 2015.

Como CEO da Vitallis Sanitas, Malagon tem administrado um ambicioso projeto de valor em saúdenos moldes do eficiente modelo existente na Colômbia, o da atenção primária. A mudança para capital mineira foi para dirigir e acompanhar de perto a transição da Vitallis como empresa da Organização Sanitas. Malagon tem sido a responsável pela gestão dos investimentos da Organização Sanitas Internacional Brasil na expansão da Vitallis.

Depois da aquisição, a Vitallis começou o processo de expansão, com abertura de novas unidades médicas, a CliniSanitas Centro, a CliniSanitas Contagem e CliniSanitas Montes Claros e seu laboratório próprio de análises clínicas, com infraestruturas modernas, além de reformarem completamente o Hospital Sanitas Barreiro de Belo Horizonte.

E é de Minas Gerais que a Organização Sanitas Internacional faz seus planos para projetos estratégicos no Brasil. São R$ 220 milhões de investimentos desde o projeto inicial com a compra de uma empresa paulista, a mineira Vitallis e expansão dela para o interior do Estado e para o Brasil.

1) Como foi sua escolha pela área da gestão de saúde e como se deu o crescimento na empresa?

Na Colômbia, a área de saúde é muito forte. Temos um sistema considerado modelo na América Latina. Sempre gostei de números e fiz um curso técnico em contabilidade no SENA (Serviço Nacional de Aprendizagem). Como parte do curso fiz um estágio de um ano na Organização Sanitas Internacional. Eu tinha 18anos. Ao fim do estágio, fui contratada. Ao mesmo tempo entrei para a Universidade de Ciências Contábeis Gran Colômbia. Me formei e fiz um concurso interno. Sempre pensei em fazer uma carreira na empresa, por isso batalhei muito e dei o meu melhor. A Organização é muito reconhecida em meu país e dá oportunidade de crescimento aos seus colaboradores.

Aos 23 anos assumi como analista a área de orçamentos e planejamentos na sede principal da empresa. Também era responsável pela valoração de outras. Eu sabia que tinha que me dedicar aos estudos e fiz especialização e mestrado em finanças na Universidade de Los Andes e já no Brasil MBA Executive pela Fundação Dom Cabral.

Depois de oito anos na empresa assumi como coordenadora administrativa. Em junho de 2012 vim para o Brasil em um processo de expansão da Organização Sanitas no país. Compramos uma pequena operadora de saúde em São Paulo. Em 2014 cheguei a Belo Horizonte depois da compra majoritária da Vitallis. Vim como vice-presidente e agora como CEO, sou responsável pela expansão do Grupo Sanitas no Brasil.
Nestes 15 anos comecei como aprendiz e me tornei uma CEO para os negócios no Brasil. Tenho aprendido bastante e me considero privilegiada por assumir tamanha responsabilidade no grupo.

2) Qual a atuação da Organização Sanitas Internacional e por que investir em Minas Gerais e no Brasil?

A Organização Sanitas Internacional é uma empresa com mais de 35 anos de mercado e que tem forte atuação na América Latina. Além do país sede, a Colômbia, estamos no Peru, Venezuela, México, Espanha, Estados Unidos, Filipinas e Brasil com mais de 3 milhões de usuários.

O grupo é um conglomerado de empresas na prestação de serviços em saúde com infraestrutura clínica e hospitalar e com empresas em atuação social, inclusive na área da educação. Entre as empresas da Sanitas Internacional estão operadoras de planos de saúde, hospitais, clínicas, Fundação Social, Fundação Universitária Sanitas, centros oftalmológicos e laboratórios.

O Brasil sempre foi visto como um país de oportunidades. Acreditamos que o nosso modelo de valor em saúde na Colômbia possa agregar ao sistema de saúde no país. Chegamos ao Brasil em 2011 com a compra de uma pequena empresa paulista da área de saúde. Foi o nosso primeiro contato com o país. O projeto Brasil da Organização Sanitas Internacional é ambicioso, um investimento da ordem de R$ 220 milhões até o momento. Eu fui acionada para administrar esse recurso. Em 2013, depois de um processo de consultoria em empresas de saúde nos foi apresentada a Vitallis, uma empresa mineira sólida e com grande potencial de crescimento. No mesmo ano compramos 62% da empresa e em 2014 vim para Belo Horizonte acompanhar de perto a transição.

3) Como se deu o processo de transição da empresa mineira para o grupo Sanitas Internacional?

A primeira ação foi entender a cultura da empresa. Não impusemos o nosso modelo de trabalho. Foi um processo tranquilo, profissional e com a participação efetiva dos colaboradores. O clima na empresa já era muito bom, com funcionários que vestem a camisa. Começamos a crescer juntos. Passamos então a promover a mudança de um modelo de um gestor único para um empresarial, corporativo com processos bem definidos. Ao nome Vitallis foi incorporado o Sanitas.
A Vitallis já tinha 220 mil vidas no país. Eram necessários investimentos em infraestrutura e processos.Passamos então a estabelecer uma cultura de planejamento. Começamos, paralelamente, a implantar um modelo de gestão em que acreditamos. Um modelo baseado em geração de valor na saúde que tem o médico da família como referência, buscando uma melhor experiência do paciente com os serviços da saúde.

Em 2014 ainda incorporamos a carteira do Santa Casa Saúde que tinha mais de 60 mil vidas. O trabalho em Belo Horizonte só crescia e dava resultados positivos. Em 2015 efetivamos a compra total da Vitallis que foi finalizada em março de 2016.

4) Como funciona o modelo de gestão da Vitallis e da Organização Sanitas?

Na Organização Sanitas Internacional (OSI) desenvolvemos um modelo de gestão de saúde que corresponde às necessidades da população. Nosso modelo inclui cuidados integrados, rede hospitalar, formação especializada, tecnologia aplicada e serviços avançados de saúde para nossos usuários.

Esse modelo integral enfatiza a atenção primária, atuando de acordo com os princípios dos 5 P'S que sintetizam o nosso sistema. São eles:

O Preditivo: o objetivo é identificar as possibilidades para o desenvolvimento de uma doença e promover medidas eficientes para evitar ou mitigar. O Personalizado, onde o que se leva em conta são as características particulares de cada indivíduo. O Preventivo porque projeta ações proativas, focadas na manutenção da saúde. O Participativo que habilita o indivíduo ou paciente a ser ativo e informado para tomar decisões em relação à sua saúde. O Permanente, porque na OSI estamos convencidos de que os cuidados com a saúde não podem ser intermitentes. Por esse motivo temos um processo contínuo de acompanhamento à pessoa.

Desde que assumimos a Vitallis, temos tentado implantar esse modelo de valor em  saúde em que acreditamos.

5) O que foi feito efetivamente desde a compra da Vitallis Sanitas?

Depois de organizar a casa, planejar e promover a transição na diretoria, fizemos algumas mudanças na infraestrura da Vitallis Sanitas. Em 2016 inauguramos a unidade CliniSanitas Montes Claros, o ambulatório do Barreiro, a CliniSanitas Contagem e investimentos no Hospital Sanitas Barreiro.

No ano passado inauguramos a CliniSanitas Centro e o Laboratório próprio, na avenida Augusto de Lima, no Barro Preto. A nova unidade recebeu R$ 9 milhões em recursos.

A CliniSanitas Centro conta com pronto atendimento de urgência e emergência 24 horas adulto, laboratório de análises clínicas, mais de 30 consultórios para atendimentos eletivos, pronto-consulta e pequenos procedimentos, além de serviços de diagnósticos e imagens próprios.

Foram inauguradas lojas próprias comerciais e 21 escritórios regionais de atendimento presencial em diferentes cidades do Brasil, sempre visando o melhor atendimento aos atuais e futuros clientes.

No Brasil já são 5 mil médicos credenciados, 7 mil instituições (hospitais, clínicas, etc) e 1200 funcionários. Há três anos temos promovido o curso de especialização em clínica médica no Hospital Sanitas Barreiro em parceria com a Fundação Educacional Lucas Machado (Feluma).
 
6) Quais os planos da OSI para o futuro? Ela não tem receio da crise no país?

A crise não nos assusta, pelo contrário, a enxergamos como uma oportunidade de crescimento. Sabemos que o país já passou por momentos mais difíceis em sua história e que esse cenário vai passar. Temos um planejamento 2018/2020para toda a organização e da Vitallis para outras cidades do interior de Minas Gerais e também outros estados. Acreditamos que o Brasil tem tecnologia em saúde, bons profissionais e grandes centros de pesquisas. Achamos que é o momento de realizar parcerias com o setor público e privado e juntos ajudar a aperfeiçoar o modelo de gestão de saúde do país.

No exterior a expansão também continua, inicialmente estamos na Flórida, New Jersey e Connectitut (EUA), México e Filipinas. Estamos expandindo também para Vietnã, Rússia e Indonésia.